27 julho 2009

Reticências

Estação de metrô de Paris


Gosto de ouvir a música enquanto os créditos do filme passam. Quando todo mundo já deixou o cinema, quando aparentemente já não há mais nada para ver.

A música do fim de filme acompanha uma solidão toda minha. Geralmente bonita – a música, nunca a solidão –, prolonga em mim a sensação do que acabei de ver, penetrando em meus poros amores que não tive, mortes que não chorei, chuvas que não tomei, ressentimentos que não vivi.

É nesse momento que mais me emociono. Quando não há mais ninguém no cinema para assistir, quando não há mais a esperar, quando o escuro ainda permite fruir tudo o que, sentada, de mão dada com ela – sempre ela –, eu pude desejar para mim, mesmo chorando uma tristeza que não é minha, despedindo-me do que não me pertence, sentindo o vento de lugares aos quais nunca fui, a maciez de um verde no qual nunca pisei.

Quando para todo mundo o filme acabou, como quem termina uma salada ou deixa a sala de aula após o sinal, sou do contra: permaneço. E me permito pensar, sem iludir os olhos ou ter o coração tomado por uma beleza de cinema.

Porque, para mim, a música que embala o fim é sempre apenas o começo.



Dois filmes cujas músicas do final fazem pensar: Paris, te amo e Ao entardecer.

12 comentários:

Alanna Costa disse...

Lindo Kandy
Amei!

Ricardo disse...

Pois é, temos isso em comum: aproveitar até o finzinho (qdo o filme é bom, claro). Muitas vezes até uma segunda música aparece, mas o melhor é quando tem alguma surpresa, um personagem que surge e depois ninguém nos acredita.

É tão bom não ser mais um carneiro na debandada ao final de uma sessão de cinema...

Bruno Peres disse...

ninguém deveria deixar a sala de cinema antes do fim dos créditos...
Os créditos de um filme são extremamente importantes, tudo bem que eu faço cinema, então a coisa é diferente...
Fico feliz em saber que há pessoas que ficam nos créditos...

Persiolino disse...

Kandy,

Particularmente, adoro ficar até o final dos créditos, principalmente para saber da trilha sonora do filme. É bom saber que não sou o único que não se apressa para sair da sala do cinema. E concordo com o comentário do Ricardo: a melhor parte é a surpresa reservada para os créditos - quase sempre em filmes de comédia reservam os erros cometidos durante as gravações, garantia de boas risadas.
Kandy, quando puder, visite meu blog: http://1001covers.blogspot.com

Beijo,

Clara disse...

Que texto muito bonito o seu !!
passando pra conehcer seu espaço, que por sinal gostei muito!!
beijos !

Jamylle Bezerra disse...

Belo post. Ouvir a música ao final do filme é realmente algo muito bom! Voltarei mais vezes!

www.jamyllebezerra.blogspot.com

Adriana Auger disse...

Bonito texto! Realmente, nunca fiquei esperando terminar a música e os créditos. Vou experimentar um dia!!

Visite meu blog quando puder? Comecei faz pouco tempo...
http://lemondeici.blogspot.com

Até mais! Vou visitar sempre seu blog.

Alê Costa disse...

Kandy, como sempre, adoro o que vc. escreve.
O meu blog tá lá, pensata errante. Ainda pequenininho, ainda tímido.
Ficaria honrada com uma visita sua.
Bj. grande.
Alê Costa

marcia cardeal disse...

Você diz muito bem das entrelinhas do silêncio e da solidão. Gosto deste espaço, desta linguagem. Quero ler mais. bjs

marília disse...

Kandy, é a Marília, amiga da Câmis. Como não consegui deixar um recado via orkut, aproveito esse espaço para agradecer por ter encomendado o dicionário-gastando o seu dinheiro momentaneamente-e para elogiar o seu blog. Ele me encanta profundamente, leio e releio incessantemente. Sinto-o como um acalanto. Duas vezes obrigada!

Giovani Iemini disse...

oi.
tô fazendo um ezine com textos de blogs da interNerd. gostei pacas deste. gostaria de publicá-lo no Bar do Escritor em
www.bardoescritor.net
se vc topar, mande para maobranca@gmail.com sua aceitação juntamente com uma minibiografia com seus endereços da rede.
beijos

Francisco Marques (Zap) disse...

kandy, isso é poesia em prosa. Na próxima vez que for esperar os créditos do filme passarem, convide-me para ouvir a música do final contigo.