15 novembro 2006

Como começa o amor

"Kan querida,
Recebi o recado cedo, mas estou respondendo só agora porque já fizemos o TESTE....

Kandy pega uma coleção (infantil viu) para seu futuro afilhado(a) rsrssrrs temos 90% de chance de estarmos corretos, nós não vamos na balada.

Vamos comer pizza aqui em casa, se vc não for na balada aparece para comemorar, ok.

Fiquei com vergonha de te ligar, a gente ficou meio esquisito... não sabe se fica feliz, ou preocupado ou apavorado...rsrsrs

Liga pra mim tá. bjs.

Fê, Eri e bebê!" (e-mail de 9/fev./2006)




“Querida Amanda,

Você fez um mês dia 12, mas já observa tudo de um jeito que conquistou esta sua madrinha aqui. Ter um olhar inquisidor, desses de varrer tudo motivado por curiosidade, é bem a minha praia. Nesse quesito, você teve a quem puxar, apesar de não termos vínculos sangüíneos — um detalhe insignificante, a meu ver.

Eu nunca havia presenciado um nascimento até você vir ao mundo. E confesso que foi uma expectativa interessante. Você já emocionava as pessoas antes mesmo de sua mãe concretizar a torcida para você nascer no dia do aniversário dela e de Nossa Senhora Aparecida. Só por isso, você já é iluminada. E vai se divertir pra caramba, porque nasceu no Dia das Crianças (eu te dou dois presentes, combinado?).

Mas olhar você ali, enfrentando o mundo pela primeira vez com um monte de gente que até então você nunca tinha visto, fez as emoções transbordarem. E, junto com seu choro, todos choramos também, numa alegria que finalmente podia se despir de qualquer preocupação.

Sua mãe, minha melhor amiga, já dizia que eu seria a sua madrinha nos tempos em que eu e ela estudávamos juntas. Acredita? Eu ainda não sei como é ser madrinha de alguém, mas posso seguir o exemplo da minha, que é mesmo minha segunda mãe. Então, queridinha dos olhos azuis, fique tranqüila, porque eu sempre estarei aqui, participando ativamente da sua vida, festejando seus aniversários, suas conquistas, apoiando suas decisões, assistindo às suas apresentações na escola, te ensinando análise sintática, ajudando você a entender o mundo de um jeito poético, que isso ajuda bastante, e torcendo para que você tenha na vida uma amizade como a que eu e a sua mãe (e agora seu pai também) temos, que isso é extremamente importante.

Provavelmente você não se lembra, mas, quando peguei você no colo, ainda na maternidade, te falei quantas coisas legais você poderia conhecer: cata-vento, parque de diversões, algodão-doce, corrida de São Silvestre (com a sua família inteira correndo nela!), música, escorregador, risada espalhafatosa (que espero você tenha herdado da sua mãe), cores, tintas, giz-de-cera, orquestra, passeio no parque, vento no rosto, lençol cheiroso, pão quente, mimo de avô e avó, bicicleta, pastel de feira, jogo de vôlei, areia de praia, mar de informação e tantos outros aparatos eletrônicos que sabe Deus o que serão na sua adolescência...

Olhando para você, é inevitável a pergunta: o que será que você vai ser? O sonho da sua mãe (porque todas têm os seus) é viajar com você nos Jogos Olímpicos. É, porque você vai ser atleta de seleção, daquelas altas e bonitas, que vai literalmente “botar pra quebrar”. Mas você pode ser médica, cientista, estilista, comerciante, astronauta, professora, apresentadora da MTV, produtora de moda, jornalista, designer ou o que quiser ser, porque tem uma família que te ama que vai te ajudar a ser você.

Particularmente, meu desafio vai ser familiarizar você com os livros. No que depender de mim, eles vão fazer parte da sua vida naturalmente. Tudo bem, vai, eu forcei um pouco a barra lotando a estante do seu quarto de obras coloridas que você ainda nem sabe ler. Mas eu vou ler para você e vou te ensinar a folheá-los e a entrar neles de um jeito divertido. Isso talvez intensifique seu modo de olhar e deixe seus olhinhos ainda mais brilhantes, e talvez nós duas consigamos seqüestrar o resto da sua família para fazerem a mesma coisa. Certamente a leitura vai torná-la uma pessoa criativa... e, pensando bem, você vai poder até ser artista, porque a arte é indissociável da literatura...

Por enquanto, continue aconchegada no cobertor laranja de franjas que foi do seu pai, alegrando a vida dos seus tios babões (fala sério, Amanda, ser a única sobrinha de três tios homens é privilégio de poucas, hein?!), ouvindo calmamente a musiquinha do móbile que você ganhou de um deles, aproveitando a delicadeza do seu quartinho branco e lilás, e crescendo forte e saudável numa família que está se esforçando para ser perfeita para você.

Amanhã eu vou visitar você e te levar os cds que comprei para você dormir feliz. Longe de mim influenciar seu gosto musical, mas dormir ouvindo Pachelbel, Bach, Beethoven e até o estressado do Mozart (foi um pessoal diferente, um dia eu te explico se você quiser), todos com arranjos especiais para ninar bebês, não é para qualquer um — e, definitivamente, você não é qualquer um. Ah, se você não gostar, também tem um cd de MPB para bebês, e você vai poder conhecer a Mônica Salmaso e a Na Ozetti cantando músicas de pingo de chuva, que confortam qualquer alma pouco ou muito sonolenta.

Você vai ser feliz, porque é querida e amada, a começar pelo belíssimo nome que te deram (deixa eu te contar, vai, uma hora você ia ter de ficar sabendo mesmo: ele vem do latim amandus, a, tendo o primeiro registro identificado no século XVII, e quer dizer “digna de ser amada”). E vai poder ler esta carta sempre que quiser, porque ela vai estar dobradinha e escrita a mão no álbum colorido que vou montar para imortalizar seus primeiros anos de vida, contando o início da sua história.

Beijos estalados na sua bochecha fofinha, desta madrinha que te ama desde 9 de fevereiro,

Kandy”

Legenda da imagem: Erison na maternidade, olhando para a filha recém-nascida.

9 comentários:

Fernanda Suaiden disse...

Que esse início de amor seja eterno...
Que Deus abençôe essa criança, sua família e sua "dinda", uma amiga tão especial!!

Jonas Comin disse...

Kandy,

É muito legal ser padrinho (madrinha no seu caso)! A gente fica encantado com elas (as crianças). E o mais legal de tudo é poder acompanhar o desenvolvimento delas. A dada dia uma coisa nova de se orgulhar!
Felicidades e boas vindas à nossa nova amiguinha! Deus a abençôe, sempre! E a madrinha também, esta figura maravilhosa e encantadora!

bjs

Fernanda e Amanda disse...

Kan do céu!!!Fazia um tempão que não me emocionava tanto!Que não chorava tanto!Oh Kan, que lindo...Puxa a Amanda com certeza tem a melhor madrinha do mundo e eu a melhor amiga do mundo também...rsrsrs.
Amamos muitíssimo você!
Muito obrigada...
Fê o Amanda

Jana disse...

Que lindo, Kandy! :)

Ser madrinha é uma coisa de louco, né? Não sei se você já a batizou, mas, na hora h, a gente vê o tamanho da responsabilidade que nos é conferida.
Minha afilhada Fernanda tem apenas 3 anos! Não vejo a hora em que ela comece a ler, para enchê-la de livros também! Também, às vezes me pego pensando como será a Fê daqui uns anos, ela é tão danada! Mas como a Amanda, tb é muito amada!
Bjs pra vc, pra Fê (Ferraresi) e para a Amanda,
Jana

Tereza disse...

Kandy,

Eu chorei... Também estou passando por essa experiência maravilhosa!

Beijocas,

Ricardo disse...

Eu ia escrever um baita palavrão, como forma de expressar minha admiração, mas como temos menores no recinto, me contive...
A cada dia vc melhora, como escritora, claro, pois como pessoa vc já é fantástica desde priscas eras (essa vai pra sua coleção).
Beijos e parabéns pras duas, afilhada e madrinha.

Bruno Peres disse...

kandy...
que coisa linda !!!!
A Amanda definitivamente tem uma madrinha dos sonhos, infelizmente, eu não tive essa sorte...

E aquele e-mail no começo do texto... que lindo..
eu ia lendo e imaginando a Fê falando, deu ate uns arrepios...

e a carta em si, nem precisa comentar nada, né Kandy ?
A Amandinha vai colar na parede essa carta e ler todos os dias, se emocionando e tendo novas sensações a cada leitura....
que madrinha, hein ?
PARABÉNS !!!

ahh... e com certeza a amandinha vai amar os cds, né ? eu pelo menos iria.. ahahahahha
Só faltou Chopin nesse cd...

bem.. parabéns novamente kandy..

e muito obrigado por utilizar a foto... apesar de eu ter me decepcionado um pouco com as fotos, eu fico muuuuuuuuuito feliz que todos vcs gostaram... é muito legal isso !!!!

bjão

Glaucia disse...

Adorei esse seu lado de madrinha!
Que fofo!

Fê e Amanda disse...

Kan, li de novo e morri de chorar de novo...rsrsrsrsrsr
Que coisa´!Kan, juro que eu quero que vc passe por essa emoção junto comigo.O meu amor pela pequena Amanda cada dia aumenta mais, é esquisito...e ler "seu carinho" por ela me emociona demais mesmo...ainda bem que vc ainda não viu...eu lendo...pq choro muito rsrsrs.
Mais uma vez, não existe outra pessoa no mundo que colocaria no seu lugar.Parece que vc já era madrinha dela toda vida...rsrsrrs
beijos amiga