06 janeiro 2007

A romã e a Rute

Todos os anos, no Dia de Reis, eu como romã e separo três carocinhos, um para cada rei mago. Peço a eles que nunca me deixem sem algum dinheiro na carteira, centavos que sejam. Não sei se é a superstição ou o quê, mas tem dado certo.


O problema sempre é o mesmo: achar a romã. Este ano, no entanto, nem deu tempo de a expectativa virar problema, porque a romã veio quase voando parar na minha mão. Há quem diga que é providência divina. Mas foi a Rute, o que dá no mesmo.

A Rute trabalha na mesma empresa que eu, mas em outro prédio. É esforçada, bondosa, espontânea, sorridente, prestativa e poética, porque faz aniversário no Dia dos Namorados. “Vou te dar a romã mais bonita que tiver no meu jardim”, ela disse, quando perguntei a ela se ela sabia quem poderia me arrumar uma romã.

Por eu não estar acostumada a essas preferências, esse tipo de frase me emociona. E, para ser mais Rute do que já é, a Rute me encontrou no refeitório, na hora do nosso almoço, e me deu um pacotinho azul com fita verde. Era uma romã redondinha de presente.

A Rute diz que eu faço muito por ela ensinando análise sintática e tirando todas as dúvidas de português que ela tem. É, eu a ajudo a redigir as cartas, a revisar releases, explico gramática, descomplico as regras e a incentivo porque eu sei o quanto de Rute ela tem: uma bondade imensurável que não cabe nem em Itu; um olhar de compaixão que abraça todo mundo; uma vontade instintiva de abrandar qualquer aflição, solucionar impasses e desfazer nós; um esforço agigantado pela determinação de progredir; uma forma muito particular de acolher o próximo conhecendo-o ou não, sem qualquer tipo de preconceito, palavra que Rute não conhece. Na sua ingenuidade angelical, a Rute não poderia ter um nome mais de acordo, porque, mesmo baixinha, ela é enorme.

Então, quando olhei para aquela romã ontem enquanto eu caminhava de volta para o prédio onde trabalho, decidi que ela não poderia ficar só comigo, porque isso não combina com ser Rute. A romã vai ser dividida em quantos pedaços der, para que todo mundo possa fazer seu pedido para o rei mago preferido. E todo mundo vai ter no mínimo uns centavinhos na carteira o ano inteiro, porque a Rute merece que a bondade se espalhe, que a felicidade floresça, que a boa vontade dê frutos assim tão redondinhos.

Ela diz que o pouco que ela faz para mim não é suficiente para me agradecer pelo muito que eu faço por ela. A Rute é que não sabe que tem um tudo bem genuíno e desmesurado dentro de si. E que pode qualquer coisa, a hora que quiser.

É por isso que eu acho que todo mundo precisa ter uma Rute na vida. Porque aprender a ser Rute é um dos desafios da humanidade.


6 comentários:

Fernanda Suaiden disse...

Kan,
Só de ler seus textos fico morrendo de saudades de conversar com você! Passei o ano novo no sítio do meu sogro (em Itu), lembrei muito de você lá... Não sei bem o porquê... Numa outra oportunidade vou levá-la para passarmos um final de semana comendo muita fruta orgânica! E romã é claro!
Posso dar uma sugestão?! Nos próximos anos separe as sementes pra Jesus.
Você é uma pessoa muito especial pra Ele. Tenha certeza disso!
Amo vc. saudadeeeeeeeeeeeeeeeees!

Balu disse...

Olá!
Com romãs ou com quaisquer outros frutos, quem dera que o mundo fosse constituído por muitas e muitas "Rutes". Tenho a certeza que viveríamos todos muito mais felizes e em paz!

Espero que todos os desejos que pediste para este novo ano se realizem integralmente!

Até breve
Beijinhos Sara Andrade

Gestão do Desenvolvimento Local disse...

Kandy,
Pelo jeito muitas outras pessoas já perceberam o quanto você escreve bem!
Foi precisa na sua definição sobre o desafio da humanidade. Certamente teriamos um mundo melhor com mais Rutes.
Felicidades para você, Rute e todos aqueles que te cercam.
Espero sua visita!
Grande abraço,

Ricardo disse...

Ora, ora, além de belo, diria ser um texto didático e - por que não?- "linkático".
Vc sempe melhor a cada texto, hein? Feliz da Rute, que além de ser essa pessoa tão especial, ainda tem vc para falar dela e nos contar seus encantos.
No meu passeio ao Mercado, cada romã custava 10 reais, o que certamente traz dinheiro... ao dono da barraca! rsrs
Gostei muito. Bjs

Jana disse...

Essa Rute deve ser legal!!!:)
Acho q o gesto em sim, mais que as sementes, lhe darão sorte!
Mas, Kan, eu não sabia dessa simpatia de romãs, (e olha que sempre gostei da árvore que a produz, temos uma pequena aqui em casa. Qdo eu era criança, havia uma na casa dos meus tios, e a tia falava que a flor "ficava grávida" da fruta, daí meu encanto, pq era a única flor que "engravidava" que eu conhecia, rs). Se ao final deste ano tivermos frutas, te mando uma!
bjs

Anônimo disse...

Kandy,

Gostaria que você me desculpasse pela demora em responder. Não foi por indiferença, pelo contrário, fiquei tão emocionada que nem sei o que dizer.
Você sempre inteligente e afetuosa, ainda consegue me surpreender!
Saiba que você é muito importante na minha vida e consegue com esses olhos verdes ver as coias e as pessoas melhores do que elas realmente são.
Agradeço a Deus por colocá-la em meu caminho e acho que a única forma que tenho de agradecer é continuar pedindo a Ele que lhe abençoe, proteja e ilumine sua estrada.
Amo você e agradeço tudo o que faz por mim. Agradeço, também, aos comentários de seus amigos que aumentaram minha alegria.
Beijos
Rute