29 dezembro 2007

Tudo de novo


Tem gente que vai dizer que entra ano e sai ano e tudo continua igual. Tem gente que vai alegar que está tudo na mesma porque o tempo é sempre isso que aí está, o calendário é que muda. E tem gente que justifica a desesperança afirmando que nada como um dia após o outro.

Como você gastou o tempo neste ano que chega ao fim? Saindo para trabalhar todos os dias, tentando ficar indiferente ao trânsito, à má educação das pessoas e à intolerância que escolheu este mundo para morar? Ou enfrentando filas, enrolando pensamentos em salas de espera, colecionando nãos, agora não dá, mais tardes e daqui a poucos? Será que seus dias foram todos iguais, feito as páginas padronizadas impressas nas agendas distribuídas como brindes nessa época?

É melhor acreditar que você soube usar bem o seu ano que agora acaba. Que você conheceu novas pessoas, ousou um pouco, engoliu o não e foi atrás de um sim, chorou de tanto rir, viu beleza no que é singelo, olhou para o céu de um jeito demorado, tomou chuva, viu uma criança nascer ou comemorar o primeiro aniversário, viajou para lugares tímidos e encantadores, aprendeu a tirar fotos direito, fez algum curso proveitoso, olhou profundamente para alguém e recebeu um sorriso em troca, vibrou com novidades, assistiu a um filme inesquecível, mudou de idéia, enterrou lembranças desnecessárias, amou de verdade mesmo sem ter sido correspondido, comeu pão quentinho estalando de gostoso, descobriu outros blogs legais, arriscou uns passos de dança, redescobriu uma música da adolescência, parou de se preocupar em impressionar, elegeu mais um ou dois intérpretes favoritos, amou de verdade e foi realmente amado em uma doce retribuição, fez caridade para aliviar a dor de alguém, voltou atrás em decisões precipitadas, soube pedir desculpas, conseguiu perdoar, aprendeu a se maquiar sem manchar tudo e a se barbear sem se cortar... aprendeu a não se machucar mesmo aproveitando a vida intensamente.

É melhor acreditar nisso tudo para lembrar com saudade do ano que passa e se esforçar para ter momentos assim no ano que vem. É preferível lembrar do que deu certo para repetir a fórmula amanhã. Por que não entender que é possível ser feliz agora? É tão fácil! A felicidade está também nas coisas simples, o olhar é que se desvia para o inalcançãvel, porque é complicado demais admitir que é suficiente o que se tem.

Não é para não querer mais nada. Ano novo combina com lista de desejos. É para conscientizar-se de que aproveitar os momentos ao máximo, no simples, mesmo em preto-e-branco ou ao contrário, um pouquinho diferente do imaginado, pode ser divertido também. Se acabou o sorvete de chocolate, por que não se contentar em dar outro sabor à vontade? Ano novo combina com experimentar o novo. Se o domingo não amanheceu ensolarado, qual o problema em ver a chuva cair com aquele barulhinho de embalar qualquer preguiça? Ano novo combina com adaptação. Se não recebeu flores o ano todo de ninguém, por que não ir a uma floricultura bem colorida e comprar umas bem lindas para enfeitar a casa? Ano novo combina com criatividade. Se foi engolido pelo tempo e não conseguiu ver todas as pessoas de quem gosta, por que não inverter as prioridades para acalmar o coração? Ano novo combina com mudança. Deixe neste que termina o mau humor, os ressentimentos e a reincidência de equívocos.

Se entra ano e sai ano e você continua igual, é porque não está vivendo direito. Quando a gente vive direito sempre aprende alguma coisa, muda um pouquinho, aprimora o gosto, revê conceitos, fica mais tolerante às diferenças, encontra graça no azul e no amarelo, mesmo morrendo de vontade de viver vermelho ou verde, faz novas amizades, expande mais o coração, respira fundo e conta até mil se preciso for, lapidando a civilidade, sorrindo mais e revestindo-se de boa vontade para olhar sempre para cima e ver que o céu é mesmo lindo, e que ele vai continuar lá no ano que se inicia. Basta aprender a apreciá-lo.


Feliz ano-novo a você que me lê e não me conhece, a você que me conhece e que me lê, a você que caiu aqui por acaso, a você que se esforça para melhorar.

13 comentários:

Mariângela disse...

Me incluo no grupo dos que caíram aqui por acaso, um feliz ano novo para ti também!Lindo texto!

disse...

Adorei seu texto! Maravilhoso! Feliz 2008 pra você!

Vinícius "Elfo" Rennó disse...

Que o teu novo ano tambémn seja renovador, assim como o meu depois de ler o teu texto, doce-moça. =]

Um beijo de elfo-barbudo no meio da testa! =*

Anônimo disse...

com certeza fiz tudo q vc citou e aprendi muito em 2007 que me fez mudar, foi o melhor ;) feliz 2008 pra todos vcs! adorei o texto!

Glaucia disse...

Feliz Ano Novo prima!

Janaina disse...

Huahuahaua, com certeza, Kandy, eu AINDA não consegui me maquiar sem borrar o rosto, (meu, rímel nem pensar, hahahaha).
Falando sério, no dia 25/12, eu tava jogada no sofá pensando sobre as aventuras de 2007 e é claro que as ruins tb me passaram pela cabeça, mas eu resolvi "pintá-las sem borrar" e aprendi que td depende de como se olha a Vida! E pobre de quem não enxerga as belezas nas coisas que vc citou, né?
Bj gde e um feliz 2008, com xale novo, rs,
Jana

Bruno Peres disse...

Feliz Ano novo kandy....

esse ano que passou foi muto bom pra mim..
infelizmente a gente se viu muito pouco..
o que eu espero que mude esse ano..
espero que venha cinemas, cafés, aniversarios..
qualquer encontro com mais frequenciia..

adorei o texto... muito bom pra começar o ano !!!!

bjão kandy

Sylvia disse...

Tb cai aqui por acaso e amei o seu texto , voltarei sempre .
Feliz 2oo8 !

patsy disse...

Kandy!!!! Um feliz 2008 para você e para toda a família querida.

Muka disse...

Bom, eu vi este filme, gostei, interessante, nada além. No mesmo dia vi "O amor nos tempos do Cólera", aí sim foi um filme reflexivo, sobre a vida, amor, o tempo...

Eu acredito muito no amor, eterno, de vidas passadas que se reencontram. Gostei muito do seu texto, da maneira que vc vê as coisas!

Grande beijo!
Mais um intruso!

Kandy disse...

Olá, Muka! Seja bem-vindo! Curiosamente, eu estou lendo O Amor nos Tempos do Cólera. Ainda não assisti ao filme, mas sempre acho que os livros são melhores, porque é deles que o filme provém e eles têm mais detalhes, o estilo mais arraigado do autor. Ainda estou na metade da leitura, mas recomendo a leitura. Vale muito a pena!

Junior Oliveira - Pergunte ao Pó disse...

ola !! foi por acaso que aqui cheguei rsrs. mas adorei seu blog, e gostaria de botar um link a ele não se não se opor vou colocar se sim me digar que infelizmente tirarei , tudo bem? obrigado e foi um prazer ...

Kandy disse...

Fique à vontade, Junior, para colocar o link. Obrigada pela visita!