28 maio 2006

Primeira idéia na janela



Quando eu era mais nova, antes de a Internet ser assim tão acessível (não vamos entrar no mérito da idade!), eu costumava escrever muito em umas agendas que eu tinha. Cada ano, naturalmente, era uma. Escrevia de tudo: desde críticas de filmes a impressões pessoais sobre a vida. Escrevia meus pensamentos, rascunhava poemas, treinava minha redação. O curioso é que a agenda mal parava na minha mão. Estava sempre com alguém que queria ler, quer por gostar do que eu escrevia, quer por curiosidade para saber o que se passava na minha cabeça.

Isso tudo antes de eu pensar em cursar Letras, quando meu português era igual a de um pobre mortal. Foi uma fase importante para aprimorar minha escrita, incentivar meu gosto pela literatura, exercitar meu raciocínio e ter mais e mais idéias, incluindo a de fazer
a minha profissão essa minha facilidade de escrever.

O fato é que escancarar a janela das idéias não é tarefa das mais simples. É, a palavra tornou-se de fato meu instrumento de trabalho, tal como eu pretendia. Mas junto com essa realização veio a autocrítica. Ferrenha, meus caros. Tudo porque, de tanto dar pitaco no texto alheio, mudando as palavras, a ordem, riscando, substituindo, sugerindo e tal, muitas vezes para tornar aquele conjunto legível e agradável de ser lido, passo a me perguntar constantemente quais intervenções a Kandy revisora faria nos textos dessa Kandy que aqui escreve.


Intervir nos textos que não foram gerados por mim é infinitamente mais fácil. Fui treinada para ordenar o raciocínio dos outros, não o meu. É como se a liberdade que eu tenho para mexer no texto dos outros tolhesse os meus próprios. É paradoxal, sim. Mas eu sou o paradoxo em pessoa. Um paradoxo interessante, que poderá ser descortinado nos textos que pretendo postar.


Tudo o que eu escrever aqui será de minha autoria. Nem tudo bom. Nem tudo ruim. Às vezes literatura, às vezes bate-papo, às vezes gêneros inclassificáveis. Idéias. Tenho muitas (todo mundo me diz que penso demais). Só que agora, em vez de espiar pelas frestas, você vai poder ver a janela aberta e olhar dentro de mim, varrendo o que me der na telha.


Por favor, comente. Uma janela aberta não tem utilidade se a luz não entrar e se não houver vizinhos.



13 comentários:

Bruno disse...

Até que enfim a kandy tomou uma atitude...
agora só falta, como eu e a fê falamos, ela escrever um livro...
quem sabe um dia, né ?

PARABÉNS PELA INICIATIVA

Clei disse...

Filha querida...Qdo vc. cursava a GV e dizia que seria uma Arquiteta...eu pensava com meus botões: "Ela escreve tão bem, tem ótima ortografia, idéias criativas...está no caminho errado, deveria fazer LETRAS."Mas sempre optei por respeitar as escolhas dos meus filhos em relação a carreira...Vc.terminou a GV, prestou vestibular e não entrou..."Mãe, acho que não é isso que eu quero...".
"Ótimo, pensei...agora ela vai acertar..."....Bem, vc. resolveu prestar Jornalismo...não entrou...Finalmente resolveu "tentar" LETRAS...
Bem, achou seu caminho...Vc. faz exatamente o que foi talhada para fazer e eu a admiro e orgulho-me da minha filha "LETRADA"!
Mesmo sabendo que terei meu texto analisado(isso é automático em vc.),fico feliz em ver que vc. resolveu abrir suas janelas para que todos possam compartilhar das suas idéias e quiçá, sentimentos.
Parabéns, filha!Amo você! Mamy

Anônimo disse...

Alo Kandy
Gostei. É isso ai. Você está no caminho certo.
Vou sempre ler com carinho as suas crônicas.
Desejo-lhe sucesso e muitas visitas.
Um Carinhoso Beijo
Tia Zóe

Kandy disse...

Obrigada, pessoal! Bruno, para que eu escrevesse um livro, eu precisaria ter idéias comercialmente interessantes, porque o que importa para as editoras é o dinheiro que uma obra arrecada, mais do que a literatura que ela contém (snif!). Mãe, lembra que eu entrei em Jornalismo? Só não cursei porque era caro demais (talvez uma forma divina de me levar ao curso de Letras). Tia, aguarde, porque vão vir coisas bem legais por aí...

dan disse...

Mas assim... vc vai aceitar comentários de pobres mortais? Que, inclusive, abreviam você como "vc"? :P

Bjuz e saiba que blog não é modinha, tanto que o meu tá aí há 4 anos (ok, ele já foi beeem melhor, mas isso não vem ao caso - rs)!!!

Glaucia disse...

Oie!
Vc vai arrasar como bloggueira!!!
(ops! desculpe pelo vc abreviado, heim!)Como eu sempre digo, tem gente que não tem assunto e tem gente que é assunto... Vc além de ser assunto ainda tem muito assunto pra contar! Todo mundo só tem a ganhar com a sua inciativa!!!
Boa sorte
E obrigadinha pela indicação do meu blog
BJS
Glau

Lincoln disse...

To analisando ainda....refletindo....

fê disse...

Kan serei uma vizinha bem intrometida tá!!!
É bacana ver vc "inteligente", pq no dia a dia a gente fala tanta "abrobrinha" que até tinha esquecido como vc é boa com as palavras...hahahah

Nata. disse...

Eu tenho um, ãh, fichario(ele tem nome!), no qual escrevo um monte de coisas... Na maioria lamentações.
Depressiva?
Não! Só acho que o papel, na maioria das vezes nos escuta mais do que qualquer outra pessoa....
E quanto a se corrigir... Ah! Isso é tão dificil....

Ronaldo Pezzo disse...

Kandy, cara amiga, sem falsa modéstia, me sinto um pouco responsável por essa sua decisão. Sempre achei, e nunca escondi isso de ninguém, que você deveria publicar de alguma forma seus textos... e acho que, na minha opinião, você achou a forma mais simples e espontânea de fazê-lo. Meus parabéns.

Do seu amigo (com todos os sentimentos que esta palavra carrega).

Ronaldo Pezzo

Anônimo disse...

Já tava na hora de ter um blog, Kandy!
E que saudades das suas agendas!!!
bjs

Kandy disse...

que frustrante não saber quem é você, Anônimo! ;-)

Fabiano disse...

Oi Kandy!

Sabe que há tempos eu passo pela sua janela, mas sempre com pressa de pedestre urbano, daquele tipo que deixa a vida passar diante dos olhos e não a percebe.

Hoje eu me bucolizei. Deixei a pressa de lado, puxei um pouco a cortina - com licença - e parei para admirar a paisagem. E não me arrependi.

Há tempos eu tenho vontade de escancarar a janela e ver o que é que vai sair dela e o que vai pular para dentro. Mas olho para tela e penso além. E se o pensamento vai além de onde a vista alcança, só me resta esperar o momento mágico em que a vista alcança o pensamento. Fico feliz por você tê-lo achado. E com muita maestria.

Parabéns por sua janela e espero que você não se incomode de ter mais um espião ocasional. Mas dê um desconto: afinal de contas, a paisagem é irresistível!

Abraços,

Fabiano