30 julho 2006

Tudo em família

Pai: — Coloque mais macarrão pro seu amigo, filho.
Filho: — Acho que ele não quer mais macarrão, pai.
Amigo: — É, não precisa se incomodar, não. Eu já peguei, obrigado.
Mãe: — Você está me fazendo uma desfeita, filho, pega mais, pega...
Amigo: — Obrigado mesmo, mas eu estou satisfeito, viu, já peguei...
Avô: — Ô, filha, deixa o rapaz, não tá vendo que ele não quer mais?
Mãe: — Ai, pai, também não precisa falar assim, né? Vai ver o moço tá acanhado, tem vergonha de pegar mais...
Amigo: — Não, não, não estou acanhado, é que não quero mais mesmo.
Mãe: — Por quê? Você não gostou do meu macarrão?
Filho: — Caramba, mãe, se liga, você tá deixando ele sem graça assim, ele já disse que não quer!
Pai: — Não fala assim com a sua mãe, filho!
Avô: — E você não fala assim com o meu neto, cáspita!
Amigo: — Olha, eu não quero causar discórdia, não precisa brigar, eu pego mais...
Mãe: — Pegar mais macarrão só por causa disso é uma desfeita maior que não pegar por não querer mais!
Pai: — Deixa que eu resolvo. Dá aqui o teu prato de uma vez que eu te sirvo e pronto!
Amigo: — Tudo bem. Mas põe só um pouquinho, por favor, é que eu realmente estou satisfeito.
Avô: — Se está satisfeito, por que é que tá pegando mais? A gula é um pecado capital, sabia?
Mãe: — Deixa o moço, pai, que implicância!
Avô: — Implicante é você, que fica enfiando macarrão goela abaixo nos outros. Que coisa mais feia isso! Não te deram educação, não?
Pai: — Olhe lá como o senhor fala com a minha esposa!
Filho: — E o senhor não grita com o vovô, ele é idoso!
Avô: — Eu já vou te dizer quem é o velho!
Amigo: — Gente, gente, olha aqui, ó, eu tô comendo tudo, está uma delícia! Viram só? Podem parar de discutir...
Pai: — E você não se mete que nem da família é!
Filho: — Pai, que grosseria, ele é meu convidado!
Avô: — É isso mesmo! Um convidado muito do falso, isso sim! Esse macarrão tá intragável e ele não teve coragem de dizer... por isso não quis mais!
Amigo: — Não é verdade, está uma delícia!
Avô: — Tá me chamando de mentiroso?
Mãe: — Se disser que meu macarrão tá ruim você vai ver só!
Filho: — Gente, olha a situação que vocês deixaram o cara... pega leve, pô!
Pai: — Come logo essa porcaria e pronto! Caramba!
Mãe: — Porcaria?! Você tá chamando o meu macarrão de porcaria?! Eu passo a manhã inteira do meu domingo cozinhando pra vocês pra ouvir isso? Ai, é o fim!
Amigo: — Senhora, senhora, olha, não liga pra eles, eu tô comendo tudo, está divino, de verdade. Está tão maravilhoso que... a senhora não teria um pãozinho aí pra eu raspar o molho do prato?
Avô: — Além de tudo é mal-educado! Raspar o molho do prato com pão é falta de educação!
Filho: — Vô, agora o falso é o senhor. Lá na Itália todo mundo faz isso, o senhor faz isso... e agora tá chamando meu amigo de mal-educado?! Ah, assim não dá, viu!
Pai: — Come logo isso tudo e pronto! Será que toda refeição é isso?! A gente precisa discutir?!
Mãe: — Ai, que desconsolo! Ninguém gostou do meu macarrão.... buááááááááá
Amigo: — Dona, dona, não chora. Pega aqui meu guardanapo pra enxugar suas lágrimas. Eu como tudo, a travessa inteira, mas pára de chorar.
Avô: — Porca miséria, mas que puxa-saco!
Pai: — E o senhor é um ranzinza!
Mãe: — Você tá ofendendo meu pai!
Filho: — Eu não como mais! Bando de loucos! E nunca mais trago ninguém aqui! Que vergonha!
Avô: — Isso, desconjura a família que te criou, seu desnaturado! E não bate o garfo no prato desse jeito que é falta de educação!
Amigo: — Gente, obrigado pelo almoço, de coração, mas acho que já vou indo, viu...
Mãe: — Ah, mas não vai mesmo! Sem comer a sobremesa?! E o bolo inteirinho que eu fiz pra você? Tá na geladeira, com recheio e tudo! Peraí que eu já pego. Filho, segura o seu amigo aí pra ele comer a sobremesa!
Pai: — É isso mesmo! Que horror sair assim, sem sobremesa e no meio da refeição! Isso é falta de educação!
Avô: — Pode ir parando aí! Quem vem à minha casa nunca sai sem a sobremesa. Tá pensando o quê?
Amigo: — Já sei, vai dizer que é falta de educação. Mas é que... eu não posso porque... sou diabético!
Pai: — O quê?! Filho, como é que você me traz um diabético pra almoçar e não avisa a gente? Agora o moço vai ficar sem sobremesa! Isso é inadmissível!
Filho: — Eu sabia que ia sobrar pra mim!
Avô: — Sobrar? Sobrar o quê? O esfomeado do seu amigo comeu tudo, não sobrou foi nada!
Mãe: — Olha o bolo aqui, vamos acalmar os ânimos pra comer, vamos...
Amigo: — Eu até que gostaria, mas eu não posso, entenda, meu diabetes, sabe, eu não posso comer doces e...
Mãe: — Ah, mas meu bolo é diferente, não vai fazer mal. Olha, come aí, come, eu já coloquei pra você, veja, experimenta, experimenta...
Filho: — Vocês vão matar o cara!
Avô: — Pois já passou da hora!
Mãe: — Pai!
Pai: — Come logo esse inferno de bolo!
Mãe: — Não fala assim do meu bolo!
Amigo: — Tudo bem, vai, eu como, mas só uma fatiazinha... E isso se vocês me prometerem que essa brigaiada acaba aqui! SEM CAFÉ, ENTENDERAM?!



4 comentários:

bruno peres disse...

muito engraçado kandy...
brigas de familias.

Mas essa situação de vc ir na casa dealgueme a pessoa ficar o tempo todo brigando com a família é muito chato mesmo...


bjs

Neto disse...

Muito engraçado Kandy !! Ainda bem que nunca passei por uma situação destas.
Eu, que venho de uma família mineira, convivo com este costume/tradição dos mais velhos de sempre querer que comamos mais um pouco. Guardadas as devidas proporções, acho que não é de todo mal !
Beijos e boa semana !

Sérgio Klein disse...

Kandy,

aqui em Minas é mais ou menos assim: se você não repete, a dona da casa acha que é desfeita. Isso me lembra aquela história da mãe judia que compra duas gravatas pra dar de presente ao filho, uma verde e outra azul. Na hora da festa, o cara aparece com a azul e ouve o seguinte comentário da mãe: "O que é que houve, você não gostou da verde?" Essa mãe bem que poderia ter nascido em Minas.

Beijos,

Sérgio

Ricardo disse...

H I L Á R I O ! ! ! Parabéns, de novo, de novo e mais uma vez.